3ª Ciretran: Vendedores de veículos reclamam da demora na liberação de documentos


Em frente ao prédio da 3ª Circunscrição Regional de Trânsito de Feira de Santana (Ciretran) tem uma placa (foto) dando boas vindas aos usuários e que está a serviço da comunidade. O problema é que os serviços, ou a ausência deles tem provocado queixas de quem precisa dar andamento a documentos no órgão estadual.

Um dos problemas verificados atualmente é a demora na expedição do DUT Digital (Documento Único de Transferência) e usuários alegam que estão tendo prejuízos, principalmente comerciantes de veículos. Segundo Marcelo Dias Medeiros, desde o início do mês vem tentando conseguir o documento.

“O DUT digital não está saindo, estamos precisando desde o começo do mês, e estão alegando que o sistema não está conseguindo ampliar essa parte. Quem deu entrada pelo despachante não está conseguindo. Pelo que já ví aqui, tem gente que conseguiu esse dut digital, quem fez pelo Detran de Feira, mas quem fez pelo despachante, ninguém conseguiu”, reclama.

Outro usuário que reclama dos serviços da 3ª Ciretran e alega prejuízo é Caio César, que negociou um veículo e teme ficar no prejuízo. Ele denuncia que tem despachantes passando pela mesma situação.

“Eu vendi o veículo e estou aqui esperando o DUT digital, esperando o banco pra poder confirmar o pagamento e não conseguimos retirar o dut, nem com o detran, nem com o despachante. Disseram que eles não tem acesso, que não estão podendo imprimir e talvez na próxima quarta-feira, mas o próprio banco me deu uma foto de um documento desse, que foi realizado o pagamento, aqui mesmo, de Feira de Santana. O meu despachante está com quinze processos, aguardando o dut eletrônico, desde o início da semana”, protesta.

Ele acrescenta que a demora na liberação do documento pode acarretar no cancelamento de negociação de veículos. “Prejuízo total, porque agora estou numa situação em que o rapaz está com a ficha aprovada há dez dias e faltam cinco dias para poder acabar o tempo dele”.

Caio César frisa que o problema não de débitos dos usuários, mas da falta de organização.

“A gente compra um veículo, vem de outra cidade e como faz para levar o documento?”, questiona. Os reclamantes acreditam que tem alguém ‘beneficiando alguns em detrimento de outros’.

O coordenador da 3ª Ciretran não foi encontrado por nossa reportagem para falar sobre o assunto, inclusive da reforma do órgão.

Blog Central de Polícia, com informações e foto de Denivaldo Costa.