Condutor de van envolvida em acidente que matou estudante de enfermagem não está habilitado, diz delegada


No mesmo dia em que se envolveu em um acidente no bairro Sítio Matias, que provocou a morte de uma estudante de medicina e ferimentos em outra jovem, o condutor da van, de 29 anos, se apresentou na 1ª Delegacia Territorial, no Complexo Policial do Jomafa, acompanhado por um advogado.

http://centraldepolicia.olabahia.com.br/2020/11/10/estudante-de-enfermagem-morre-e-colega-fica-ferida-em-acidente-no-bairro-do-tomba/

A delegada Klaudine Passos (foto), que tomou o depoimento do motorista, informou que a perícia já foi feita pela polícia técnica e pretende ouvir testemunhas a estudante que ficou ferida após o acidente.

“A dinâmica do acidente vai ser traçada pela perícia criminal, a qual já foi feita. Ontem, nós a apresentação aqui, por um advogado, do senhor que estava na condução da van, percebemos que ele veio um tanto quanto tenso com a situação, também foi pego de surpresa, mas percebemos também que havia algumas irregularidades no veículo, a exemplo de licenciamento, a exemplo também de não ser uma pessoa habilitada para estar na condução daquele veículo, percebemos também a questão do socorro e tudo isso vai ser analisado”, disse Klaudine.

A delegada informou ainda que além de ouvir o motorista a polícia apreendeu a van para perícia. Klaudine Passos também comentou sobre a atitude do condutor da van, de fugir do local do acidente, e explicou que tipo de procedimento deve ser tomado.

“A lei é muito clara. O fato de você não dar o socorro naquele momento e a gente até de certa forma faz algumas ponderações e até consegue entender naquele momento que a pessoa vai sair do local, até com medo de uma rechaça populacional, mas a gente também verifica que a pessoa se incorreu nesse tipo de situação, foi uma fatalidade, pode também providenciar socorro, ligar para uma pessoa mais próxima, chamar o 190, ligar pro SAMU, pra que aquele socorro venha o mais rápido possível, o que não pode é omitir essa situação, não adianta você atropelar uma pessoa e ir pra sua casa esperar, é pedir o socorro imediato”.

O condutor informou para a delegada que estava sozinho no momento do acidente e estava indo buscar uma pessoa.

De acordo com a delegada, ele deve responder por homicídio culposo no trânsito e também por lesão culposa no trânsito, pelo ferimento provocado na carona da moto. Após ser ouvido, foi liberado.

Blog Central de Polícia, com informações e fotos de Denivaldo Costa.